Caro leitor

Este blog é a fiel expressão da minha visão de mundo.

Acredito na ideia do todo, onde todos somos um e que minhas atitudes, minha forma de pensar geram energias que refletem na existência do outro. Daí a importância de estarmos sempre na frequência do bem, dos bons pensamentos, vibrando sempre na frequência de Luz. Estamos em aprendizado e as falhas, as tentações, deslizes ao retrocesso estão conjugados ao nosso Ser. Devemos estar atentos aos nossos pensamentos, atitudes e tipo de energia que emitimos e expandimos para o Universo. Espero que os textos que escrevo e os de outros autores que aqui publico,possam acrescentar algo de construtivo para os que lerem.

(Hilda Stein)

Google+ Followers

quarta-feira, 22 de julho de 2015

SERÁ QUE EXISTE VIDA EM OUTROS PLANETAS?


imagem net




Será que existe vida em outros planetas?
Esta discussão é muito antiga, uns inferem que sim outros que não.
Será que no Universo gigantesco onde existe cerca de 170 bilhões de galáxias no plano observável só exista vida aqui no planeta terra?
Eu acredito que sim. Vida como a nossa, só existe aqui neste planeta. A composição do ser humano é relacionada à composição da Terra.
Partindo da informação que a Terra possui 71% de água na sua superfície e o corpo humano é composto entre 70 e 75% de água e que encontramos na Terra oxigênio, hidrogênio, sódio, cálcio, ferro, magnésio, potássio, titânio, fósforo, carbono entre outros e que de todos os elementos citados, nós também os possuímos no nosso organismo, podemos concluir que a nossa vida está diretamente relacionada ao planeta em que vivemos, portanto não é possível existir seres com composição semelhante à nossa em outros planetas, mas acho possível que assim como somos filhos da Terra, outros planetas e estrelas possuam também seus filhos..
Existe uma lei cósmica onde tudo no Universo está relacionado e esta lei é regida por uma inteligência que é o grande mistério da vida.
E aí vem a pergunta:
Quem somos de onde viemos e para onde vamos?
Sócrates responderia esta pergunta de uma maneira clássica: “ só sei, que nada sei”.