Caro leitor

Este blog é a fiel expressão da minha visão de mundo.

Acredito na ideia do todo, onde todos somos um e que minhas atitudes, minha forma de pensar geram energias que refletem na existência do outro. Daí a importância de estarmos sempre na frequência do bem, dos bons pensamentos, vibrando sempre na frequência de Luz. Estamos em aprendizado e as falhas, as tentações, deslizes ao retrocesso estão conjugados ao nosso Ser. Devemos estar atentos aos nossos pensamentos, atitudes e tipo de energia que emitimos e expandimos para o Universo. Espero que os textos que escrevo e os de outros autores que aqui publico,possam acrescentar algo de construtivo para os que lerem.

(Hilda Stein)

Google+ Followers

sábado, 4 de outubro de 2014

UNIÃO HOMOAFETIVA-UM NOVO CONCEITO DE FAMÍLIA

foto net


Que assunto badalado e polemico essa tal união homoafetiva.
Uns acham absurdo, pouca vergonha e julgam o final dos tempos.
Outros apoiam ou preferem nem comentar.
Quando se fala de adoção de filhos, aí o assunto esquenta.
Os religiosos condenam, os liberais aprovam e a prosa toma um rumo sem fim.
A realidade é que estamos vivendo não no fim dos tempos, mas em novos tempos.
As pessoas estão se transformando e assumindo seus papéis na sociedade, encarando as críticas de peito aberto. O que sempre existiu e era escondido em outrora, hoje é visto de forma transparente.
Na nossa cultura de conceitos e valores gerados a partir de uma criação onde tudo existia, mas nada se permitia, é chocante ver dois homens ou duas mulheres trocando carícias mais íntimas. É compreensível a repudia dos mais antigos, mas é preciso mudar e encarar o novo, sem julgamentos. Os religiosos pregam estar no Livro Sagrado a obrigatoriedade de união afetiva somente entre um homem e uma mulher, talvez para procriação da espécie humana sim, porque mesmo com toda a modernidade da ciência ainda é necessário a contribuição de um macho e uma fêmea para procriar.
Em um dos livros sagrados existe uma frase que diz: “Eu vos dou um novo mandamento: Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. ( Jo 13,34).”
Neste ensinamento não cabe críticas, julgamentos ou censuras. Respeitar o próximo e sua opção de vida é um ato de amor.
Em uma relação onde o amor impera, não cabe críticas.
Esse novo modelo de família censurado e repudiado por muitos, deve ser visto pelo lado positivo, pois onde há amor e harmonia há também a benção Divina.
Quantas crianças se encontram nas ruas abandonadas levando porrada, sem luz no fim do túnel, isso sim é um absurdo.
Quantas delas não dariam a vida para terem um Lar, sem se importarem se hetero ou homoafetivo?
Quantas crianças que são criadas em lares considerados “ normais” pela sociedade demagoga e que sofrem todo o tipo de violência imagináveis e inimagináveis?
Uma união homoafetiva, onde existe respeito, amor e harmonia é muito mais digna que uma união heteroafetiva doentia carregada de discórdia, sofrimento e desrespeito.
O ideal seria que as pessoas começassem a se preocupar em se construírem como verdadeiros seres humanos, deixando as críticas, censuras maliciosas e entendendo o verdadeiro sentido da vida.
Que começassem a praticar o que pregam e o que ouvem nos bancos das igrejas, sinagogas, templos, mesquitas, etc...
“Lucas 6:41
Por que reparas no cisco que está no olho do teu irmão e não percebes o tronco que está no teu próprio olho? “
O amor entre duas pessoas, seja de que sexo for, deve ser respeitado e honrado sem julgamentos.
No momento em que as pessoas compreenderem e praticarem o mandamento “ Amai-vos uns aos outros.” Será o despertar de uma nova aurora...
Não estamos nos fins dos tempos e sim no início da grande jornada evolutiva.