Caro leitor

Este blog é a fiel expressão da minha visão de mundo.

Acredito na ideia do todo, onde todos somos um e que minhas atitudes, minha forma de pensar geram energias que refletem na existência do outro. Daí a importância de estarmos sempre na frequência do bem, dos bons pensamentos, vibrando sempre na frequência de Luz. Estamos em aprendizado e as falhas, as tentações, deslizes ao retrocesso estão conjugados ao nosso Ser. Devemos estar atentos aos nossos pensamentos, atitudes e tipo de energia que emitimos e expandimos para o Universo. Espero que os textos que escrevo e os de outros autores que aqui publico,possam acrescentar algo de construtivo para os que lerem.

(Hilda Stein)

quarta-feira, 20 de julho de 2016

RAPUNZEL




Refletindo sobre o conto de fadas de Walt Disney, Rapunzel, fiquei imaginando a quantidade de mulheres, digo mulheres porque o conto se refere a uma princesa, mas muitas pessoas independente de gênero vivem presas em torres à espera de sua libertação.
Torres impostas pela sociedade; convenções, preconceitos, complexos, medos, crenças, dogmas, traumas guardados as setes chaves, tristezas, frustrações, desejos reprimidos, mágoas, vícios, arrogância, enfim, inúmeros são os motivos que as acorrentam e as fazem prisioneiras como Rapunzel. Tornando-as consequentemente dependentes de sedativos e paliativos acorrentando-as em estado de inércia e depressão.
Seja qual for a causa, as correntes do vitimismo provocam a incapacidade de reação para mudar esta amarga realidade.
Para que aconteça a libertação é necessário que haja, assim como na história, um príncipe vestido de consciência que suba por sua trança a qual reflete a força que habita o interior da prisioneira e a faça lutar bravamente contra a bruxa alimentada pelos sentimentos de inferioridade, incapacidade e insegurança, que limitam o seu potencial de tomar as rédeas de sua própria vida.
Rapunzel não é apenas um conto de fadas e sim a realidade de pessoas que são prisioneiras nas torres formadas por suas próprias sombras.