Caro leitor

Este blog é a fiel expressão da minha visão de mundo.

Acredito na ideia do todo, onde todos somos um e que minhas atitudes, minha forma de pensar geram energias que refletem na existência do outro. Daí a importância de estarmos sempre na frequência do bem, dos bons pensamentos, vibrando sempre na frequência de Luz. Estamos em aprendizado e as falhas, as tentações, deslizes ao retrocesso estão conjugados ao nosso Ser. Devemos estar atentos aos nossos pensamentos, atitudes e tipo de energia que emitimos e expandimos para o Universo. Espero que os textos que escrevo e os de outros autores que aqui publico,possam acrescentar algo de construtivo para os que lerem.

(Hilda Stein)

Google+ Followers

sábado, 27 de fevereiro de 2016

REFLEXÃO




“A vida é tão breve”. Ouvi esta frase de amigo que foi tomado por grande emoção ao pronunciar estas palavras.

Gonzaguinha cantava que a vida é o sopro do criador numa atitude repleta de amor.

Se pararmos para refletir sobre a brevidade da vida, perceberemos que perdemos muito tempo valorizando bobagens, alimentando melindres, fantasias que não nos levam a lugar algum.

Queremos consertar o mundo, mas não atentamos para o que devemos corrigir em nós mesmos.

Temos pressa para chegar, mal sabemos aonde, desejamos o tempo todo coisas que não nos satisfazem quando as possuímos, e queremos cada vez mais.

Repetimos os mesmos erros que censuramos no outro e varremos para baixo do tapete as nossas fraquezas.

Transferimos sempre a culpa dos nossos fracassos para outros e vendamos nossos olhos para não admitirmos a nossa responsabilidade sobre tudo que fazemos.

Temos a felicidade constante, mas valorizamos os momentos infelizes.

Estamos rodeados de beleza, mas só enxergamos o que é feio.

Mesmo estando cercados por pessoas que nos valorizam e nos tratam bem, insistimos em querer aquelas que nos destratam ou nem percebem a nossa existência.

Desprezamos o que é possível para o momento, e sofremos pelo impossível.

Preferimos fazer guerra e pregamos o tempo todo o amor.

Queremos tudo, mas não valorizamos nada que temos.

Somos inconstantes por não saber o que realmente queremos.

Vivemos em uma eterna fuga, fugindo de nós mesmos.

A vida é breve e simples, mas nós a complicamos, porque não entendemos que antes de ter devemos ser.