Caro leitor

Este blog é a fiel expressão da minha visão de mundo.

Acredito na ideia do todo, onde todos somos um e que minhas atitudes, minha forma de pensar geram energias que refletem na existência do outro. Daí a importância de estarmos sempre na frequência do bem, dos bons pensamentos, vibrando sempre na frequência de Luz. Estamos em aprendizado e as falhas, as tentações, deslizes ao retrocesso estão conjugados ao nosso Ser. Devemos estar atentos aos nossos pensamentos, atitudes e tipo de energia que emitimos e expandimos para o Universo. Espero que os textos que escrevo e os de outros autores que aqui publico,possam acrescentar algo de construtivo para os que lerem.

(Hilda Stein)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Libertação da culpa para o alcance da cura física

A culpa é um dos grandes agentes nocivos para corpo físico. Ela se fixa no plano mental e destrói gradativamente o físico de uma pessoa. Ter consciência dos erros cometidos no passado é de suma importância, estes devem ser analisados em seus atos e consequências, mas não devem representar um fardo a ser levado adiante. O reconhecimento da falha implica na correção à medida do possível da mesma, com a consciência de que não há possibilidade de voltar no tempo para repará-la e sim que não seja cometida novamente. O autoperdão é necessário para o processo de cura, pois enquanto a mente não se liberta da culpa, o corpo não libera o mal nele causado. Se autoperdoar não significa estar livre das consequências e sim entendê-las sem revolta, com a consciência de que o resgate já está sendo feito sem que seja necessária a autopunição. As provas e expiações fazem parte desse plano. Aqui existe a possibilidade dos erros e correção. Mediante a compreensão das falhas, ocorre o crescimento espiritual. As falhas devem ser analisadas de acordo com o contexto apresentado para melhor compreensão dos atos praticados. Uma série de fatores implica nas atitudes e reações de cada Ser vivente. O esclarecimento não está ligado a culpa e sim a análise de todo o processo, a compreensão das atitudes praticadas e a correção na medida do possível em situações futuras. A essência maior da vida não se resume em não cometer erros e sim ter consciência dos mesmos e resgatá-los assumindo as consequências sem autopunição. “Orar e Vigiar”, a oração faz parte da conexão com o “Eu Superior” capaz de trazer à consciência os erros cometidos. Vigiar implica na correção dos erros e se não for possível a correção que se faça presente a consciência das consequências e a não repetição dos mesmos. Com o processo evolutivo acelerado, as falhas devem ser corrigidas de imediato e não postergadas para serem corrigidas no ciclo seguinte. Deve-se considerar falha todo ato que prejudica terceiros e principalmente a si próprio. Os fatores internos que prejudicam o corpo físico têm o mesmo peso dos externos. O descaso com o corpo físico é uma grande falha e este não está só associado à má alimentação, excessos, drogas, etc... Os sentimentos negativos alimentados em nossa mente têm força suficiente para danificar o corpo físico tal qual a fatores externos. Vigiar os pensamentos e sentimentos é um exercício que deve ser considerado para que a saúde física seja poupada de agressores que se transformam em doenças que podem ser irreversíveis. O Poder de cura e transformação está dentro de cada um. Os médicos, amigos, familiares e irmãos da espiritualidade, representam o suporte para auxílio da cura, mas a responsabilidade maior está no interior de cada um, na capacidade de autoanálise e superação das provas apresentadas, sem que haja sentimento de autopiedade e autopunição. A sabedoria individual consiste em analisar todo o processo vivido e ajustar a auto conduta a fim de alcançar a essência Divina que habita em cada Um. Para que a consciência coletiva se torne Uno com o Pai é necessário o esforço para a transformação individual. Todos pertencem a um Todo, mas cada partícula desse todo é única. Canalizado por Hilda Stein em 17/02/2014.